CNV (Comunicação não Violenta): como ela pode te ajudar no seu processo de gestão de pessoas?

5 minutos para ler
E-book desenvolver líderesPowered by Rock Convert

A comunicação não violenta (CNV) permite que os colaboradores conversem de maneira respeitosa. Por meio dela, as pessoas expressam suas emoções e necessidades sem ofender umas às outras.

Os problemas de relacionamento interpessoal interferem (e muito) nos resultados da equipe. Por isso que a CNV é uma prática tão essencial à liderança. Com autoconhecimento e escuta ativa, é possível usar as palavras certas para criar uma comunicação eficaz e, sobretudo, compassiva.

Porém, qual é o real objetivo da CNV e como aplicá-la no seu time? Criamos este artigo para responder essas perguntas. Descubra agora como se beneficiar dessa prática e ter uma equipe mais harmoniosa!

A comunicação não violenta vai além de palavras doces

comunicação não violenta

A comunicação não violenta é uma técnica criada pelo psicólogo Marshall Bertram Rosenberg, na década de 1960, com o intuito de utilizar a empatia para estabelecer um diálogo. Quando você entende o outro e consegue expressar seus sentimentos — com responsabilidade e respeito —, atinge níveis de consciência sobre os fatos de maneira mais produtiva.

As reações negativas são reflexos de ações agressivas. Algumas podem, inclusive, ter origem na cultura regional do colaborador ou, até mesmo, na criação. Porém, quando você aplica os elementos da CNV, consegue ajudar sua equipe a resolver conflitos e discutir problemas de maneira construtiva e eficaz.

Os elementos principais da CNV

A técnica consiste em utilizar os 4 elementos principais da comunicação não violenta para exercitar a empatia e se expressar de maneira honesta, porém, respeitosa. Confira!

Observação

A principal proposta da comunicação não violenta é o olhar atento sobre todo o cenário. Isso é possível ao fazer um processo de autoanálise sobre suas próprias ações e entender o ponto de vista do outro, sem julgamentos. Sendo assim, a situação será analisada de uma maneira holística e todos conseguirão perceber suas parcelas de responsabilidade, bem como entender quais comportamentos devem ser melhorados.

Sentimento

Depois que a situação for observada sob diferentes ângulos, é o momento de perceber as emoções envolvidas e comunicá-las de maneira positiva. Para isso, uma sugestão é utilizar o pronome “eu” no momento que for se expressar. Por exemplo, substituir “me entregaram muitos projetos” por “eu estou me sentindo atarefado”. Essa comunicação vai permitir que o outro compreenda a situação como ela é, em vez de criar identificação com as emoções.

Necessidade

Em seguida, é o momento de identificar quais necessidades não foram supridas e, para isso, é importante incentivar um diálogo aberto entre todos os envolvidos. A pessoa precisa se sentir à vontade para relatar o que a deixa descontente. Uma maneira de estimular essa abertura é adotando ferramentas que promovam um ambiente seguro, como:

  • reuniões em grupo;
  • conversas individuais;
  • caixas de sugestão;

Pedido

Por fim, depois que todas as partes entenderem o problema e conseguirem se expressar, é a hora de oferecer alternativas para resolver a adversidade. Mas lembre-se de que deve sugerir, não exigir. Além disso, as negativas fazem parte de qualquer conversa. Portanto, é preciso se preparar.

A comunicação não violenta na gestão de pessoas

Adotar a prática da comunicação não violenta é aprender a expressar-se de forma honesta e transparente usando os 4 componentes que descrevemos anteriormente, mas também é aprender a receber com empatia a expressão do outro. E, às vezes, em níveis mais avançados, é ajudar o outro a usar os elementos da CNV para se expressar de maneira clara e compassiva.

Isso significa que, como gestor, você tem um papel importante nesse cenário. É preciso utilizar os componentes da CNV nos processos de diálogo, ajudar o colaborador a se expressar com base na técnica e incentivá-lo nesse processo de aprendizagem sobre ouvir as necessidades do outro, exercitando a escuta ativa.

Esse processo pode ser um tanto exigente e desafiador no começo, por isso, exigirá um esforço grande do líder. Talvez algumas conversas soem até um tanto artificiais nas primeiras experiências, mas é só uma questão de treino. Com a prática, chegará o momento em que os 4 elementos da CNV serão aplicados de maneira natural e espontânea.

As práticas da CNV ajudam na construção do engajamento da equipe e, com isso, melhora o desempenho do time. Ela é uma técnica essencial para desenvolver a liderança, de modo a criar uma conexão com os liderados. Então, invista na comunicação não violenta para administrar os conflitos, fornecer feedbacks construtivos e aumentar sua percepção pelas necessidades do outro.

Conseguimos ajudar você com este artigo? Tem outros desafios com a comunicação? Então, escreva aqui nos comentários e compartilhe conosco!

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-
WhatsApp Fale conosco!